Sobre o Fiúza

Comecei a admirar Guilherme Fiúza quando li a biografia, escrita por ele, sobre o Bussunda.
O texto era saboroso e o personagem principal ganhou contornos humanos que só alguém com muito talento seria capaz de fazer.
Depois li outros livros da autoria dele.
Até que consegui marcar uma entrevista. Que ficou ótima.
Mas, chegando em no hotel, percebi que o áudio havia ficado péssimo. Os microfones não funcionaram. A única coisa audível era a incansável obra vizinha ao apartamento do Fiúza.
Esperei um bom tempo e, constrangido, expliquei ao Guilherme o que havia ocorrido. Ousadamente, pedi uma nova entrevista.
Ele aceitou, o som funcionou e a segunda entrevista ficou ainda melhor que a primeira.
O Fiúza é gentil e inteligente. Um cavalheiro. E acima de tudo é interessantíssimo, como todos os personagens por quem ele se interessa.

Esta entrada foi publicada em Comentários sobre as entrevistas. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta para Sobre o Fiúza

  1. celia miranda disse:

    Adorei a entrevista, abordagens interessantes e bem exploradas! Enriquecedora!

Os comentários estão fechados.